Maison

A comunicação digital é muito mais o Doodle do Google do que um post no Facebook

A comunicação digital é muito mais o Doodle do Google do que um post no Facebook

 O Doogle do Google é um exemplo do potencial que estamos deixando de aproveitar da interface chamada Web.

Quando iniciei o curso de Comunicação Digital na Unisinos em 2016 o nosso coordenador Daniel Bittencourt falou mais ou menos assim: “Vocês não pensam que aprenderão a trabalhar no Facebook, isso vocês fazem um curso de 20 horas…”. Naquele momento eu fiquei pensativo e não conseguia ver muito além da comunicação digital sem passar por esta rede social (mesmo sendo desenvolvedor de sites). Eu via o Facebook como um grande canal para disseminação da informação. De fato eu não estava enganado mas há muita coisa além disso.

Se o Facebook, Instagram, Twitter ou outra rede social deixasse de existir agora, a sua marca conseguiria conversar com o seu cliente?

O que sua marca faria sem as redes sociais?

Redes sociais

Se você pensou, ficou com receio da pergunta acima tenho algo para te dizer: você está refém das redes sociais. Nele você não é dono do canal mas sim se apropria de um espaço e compartilha ele com outras marcas, inclusive as concorrentes. Quem dita as regras é a plataforma e as possibilidades de trabalhar o conteúdo são limitadas ao que a plataforma permite.

Quando o Facebook libera um novo formado, as pessoas responsáveis pelas contas comemoram como se fosse a nova maravilha do mundo. Também pudera, é a possibilidade de criar um novo post, aproximar-se mais com o usuário, aprimorar o storytelling. Inicia o trabalho de pensar como aplicar este novo formato para a marca que está trabalhando e postam o quanto antes o conteúdo para ‘serem os primeiros a inovarem’.

No entanto, a audiência na rede social não é sua, o espaço não é seu, o conteúdo também não é de sua propriedade e o alcance, desempenho e métricas são definidos pelo algoritmo da plataforma. Se ela resolver diminuir o alcance de um determinado tema ela o fará e você não terá muito o que fazer.

Mas a rede social tem a sua importância na comunicação digital. Ela faz com que o conteúdo seja disseminado seguindo as regras estabelecidas: conexões e interatividade entre usuários, público extremamente segmentado e qualificado, possibilidade de atingir pessoas que nunca ouviram sobre a sua marca sem que elas precisem buscar pelo que você está oferecendo. Mas isso não é tão diferente do que era realizado fora das redes sociais.

A Web é muito maior e poderosa do que qualquer rede social

Comunicação Digital

Comunicação Digital

Uma realidade triste é que miilhões de usuários do Facebook não têm ideia de que estão usando a internet, isso quer dizer, muitos desses usuários entregam ao Facebook a responsabilidade de atuar em toda a potencialidade que a Web tem a oferecer.

Na verdade a Web é muito maior que o Facebook e a Internet é muito maior que a Web mas não iremos discutir aqui o que é Web e o que é Internet. O que desejo falar aqui é como a Web funciona e porquê estamos perdendo tempo apostando somente nas redes sociais como canais das empresas.

Como mencionei no título do post o Doogle do Google é um exemplo do potencial que estamos deixando de aproveitar da interface chamada Web. Sim, o Google quando desenvolve os Doodles comemorativos ele pensa na Web como interface. Web pode ser entendido como o seu browser do Desktop, mobile, tablet ou SmartTV. Esta é a grande diferença, há um esforço em construir algo, programar, pensar na interatividade e na co-criação que o usuário terá ao entrar em contato com a mídia.

Quando se pensa em uma estratégia de comunicação para uma marca as vezes deixamos de cogitar a utilização de um canal proprietário que pode ser um site, blog ou um hotsite. Este tipo de canal torna a marca dona do espaço, a audiência que vai até ela é dela podendo lidar com os dados da maneira que quiser. Este espaço é de Brand Safefy, isso significa que sua marca estará protegida da concorrência e o conteúdo postado aí passa pelo seu controle. A questão é que leva tempo e gera custos criar um canal proprietário, um programador, um web designer, profissional de UX e UI para pensar a navegabilidade e experiência do usuário tornam o processo custoso e demorado se comparado ao tempo que leva para criar uma Fanpage e isso impossibilita muitas vezes a adoção desta mídia.

Mas o que o Doodle do Google tem a ver com comunicação digital?

Simples, como mencionei anteriormente o Doodle do Google explora as possibilidades de se atuar no Browser. Seja inserindo interatividade, realidade aumentada, virtual, coletando informações e tudo isso pode atuar de forma importante para você trabalhar a sua audiência e gerar vendas para o seu cliente.

Imagine um cliente seu que possui um produto e deseja oferecer uma experiência imersiva para os visitantes. Em uma página você tem a possibilidade de criar todos os formatos disponíveis nas redes sociais e muito mais. A narrativa podem ser muito melhor explorada com o storytelling parallax que transforma o Scrool da página em um contador de histórias. Além disso qualquer input pode ser transformado em interatividade para encantar o usuário e tornar a ação mais rica.

Pensar para a Web é pensar no usuário

Quando falei anteriormente sobre a importância da rede social para a segmentação de usuários e fazer com que a sua marca vá até eles pelo comportamento significa que o trabalho árduo é feito pelo algoritmo da plataforma e você só tem que saber segmentar. Quando você cria um canal e deseja promovê-lo em geral utiliza-se  de SEO e serviços como Google Adwords para que seu site seja exibido nas primeiras páginas. Neste caso o trabalho é maior também pois tem que entender como o seu cliente procuraria por você, pela sua marca, pelo seu produto e elaborar o conteúdo de forma que o Google veja como relevante para os termos que são pesquisados.

Ele só irá procurar por você quando tiver desejo e em um primeiro momento parece mais difícil gerar tráfego. No entanto, quando ele procura significa que há intenção e necessidade de obter o seu produto ou serviço então os gastos para que ele chegue até o seu site são mais eficazes.

Então devemos abandonar a rede social?

De forma alguma! Cada canal possui suas especificidades, sua audiência e seu comportamento e devem ser utilizadas para ampliar o alcance. Segmentar o público e entregar a mensagem que está no seu site para eles. O canal proprietário não funciona sozinha e necessita de plataformas auxiliares para ser efetiva.

Para finalizar gostaria de deixar uma reflexão. Pense mais uma vez como a sua marca sobreviveria se as redes sociais existentes hoje fossem extintas. Quais os meios do seu cliente chegar até você sem depender de uma plataforma social? Deixe nos comentários a sua opinião.


Não perca nenhuma notícia

Inscreva-se na nossa Newsletter e receba semanalmente conteúdo de qualidade com várias notícias sobre comunicação, inovação e tecnologia.

Post a Comment